Mídia - Ecophysis

Ir para o conteúdo

Mídia

4/4/2017 - Diário do Sudoeste - Escola de Marmeleiro incentiva compostagem.
1º/4/2017 - Jornal de Beltrão - Marmeleiro: Alunos da Escola Telmo Müller participam do projeto de compostagem.
31/3/2017 - Jornal de Beltrão - Social Renascença
31/3/2017 - Jornal Opinião - Marmeleiro encerra comemoração do Dia Mundial da Água.
29/3/2017 - NRE Francisco Beltrão - Alunos da Escola Telmo Müller participam do Projeto de Compostagem
Fonte: http://www.nre.seed.pr.gov.br/modules/noticias/article.php?storyid=11116
29/3/2017 - Jornal de Beltrão - Evento na Praça de Marmeleiro encerra comemoração do Dia Mundial da Água.
29/3/2017 - Diário do Sudoeste - Marmeleiro realiza ações em comemoração ao Dia Mundial da Água.
24/3/2017 - Jornal de Beltrão
14/03/2017 - TV Sudoeste


MEU BAIRRO TEM mostra projeto de Educação Ambiental implantado em escola de Marmeleiro.

Projeto de Compostagem, mostrando que é possível fazer Educação Ambiental de longo prazo.
1/3/2017 - Entrevista com Luiz Carlos Baggio no programa Onda News.

O assunto compostagem inicia no 6º minuto da entrevista. Importante sempre lembrar que é muito bom quando se tem na pauta as questões ambientais, porque o processo educativo tem que acontecer sempre, aqui e agora.
1/11/2016 - Site do NRE de Francisco Beltrão - PR
Escola Telmo Müller recebe visita de acadêmico da UTFPR.
1/9/2016 - Palestra na FAMA.

"Proferi palestra “Iniciativas Inovadoras de Projetos Sustentáveis” na FAMA – Faculdade Municipal de Educação e Meio Ambiente de Clevelândia – PR. A atividade aconteceu com os três cursos de graduaçãoo: Administração, Pedagogia e Sistemas. Com fundamentação na Seleção Natural de Darwin, na Lei de Parkkinson, no Princípio de Pareto e outros foi apresentado o estudo de caso do Projeto de Compostagem e demais projetos desenvolvidos pela Ecophysis. Lembrando que sempre precisamos de mais variação e como diria Kock, “a diversidade funciona”, foram também apresentadas as ações do Religar.net.
A participação voluntária nas atividades foi fundamental para permitir experimentar de forma lúdica o que se apresentou sobre termos uma compreensão de conjunto, do todo da espécie, por uma vida melhor.
Agradeço a Professora Marilete Chiarelotto e a Professora Eli Marchesan pelo convite e a todas as pessoas da FAMA com quem tive contato." (Cláudio Loes)

1/7/2016 - O TOM da HORA
Professor Cláudio responsável pelo Projeto de Compostagem.
1/7/2016 - Em Francisco Beltrão, a Cooperativa Mirim COOPEREF desenvolve a prática da Compostagem.
Escola Municipal Recanto Feliz de Francisco Beltrão - PR.
16/6/2016 - Jornal de Beltrão - 5º Ano do Projeto de Compostagem
4/6/2016 - Entrevista no programa DE CARA COM A IMPRENSA na TV Beltrão.
Assuntos relacionados a água, compostagem e o projeto AquiLivros.
31/5/2016 - Instituto Sicoob - Em Francisco Beltrão, a Cooperativa Mirim COOPEREF desenvolve a prática da Compostagem.

Fonte: http://www.institutosicoob.org.br/noticias/181_Em_Francisco_Beltr%C3%A3o,_a_Cooperativa_Mirim_COOPEREF_desenvolve_a_pr%C3%A1tica_da_Compostagem
13/5/2016 - Projeto de Compostagem na publicação do Ministério do Meio Ambiente.

A publicação "Práticas de referência de Educação Ambiental (EA) e Comunicação Social em Resíduos Sólidos" acaba de ser lançada pelo Ministério do Meio Ambiente. A organização foi de Amanda Feitosa Passos, José Luis Neves Xavier e Patrícia Fernandes Barbosa como Coordenadora.

Na página 30 e seguintes está o Pprojeto de Compostagem e é com orgulho que esperoo possa servir de exemplo para que outros repliquem ou mesmo se inspirem fazendo ainda melhor. Afinal, ficar entre os 25 projetos do setor privado para todo o Brasil e entre os 22 projetos da região Sul do Brasil, é um reconhecimento que vem coroar todos estes anos de trabalho e dedicação.

Acesse a publicação completa e aproveite para também conhecer outras práticas de EA aqui.

Acesse o excerto do Projeto de Compostagem aqui.
17/10/2015 - Oficina Eco da Minhoca no SESC de Francisco Beltrão-PR.
Cláudio Loes conduziu a oficina na Tarde Cultural promovida pelo SESC com os alunos que participam do Projeto Futuro Integral. O tema "Sustentabilidade e mão na massa" como norteador das atividades, perrmitiu ao alunos saberem mais sobre o ciclo orgânico e de que podemos fazer compostagem e vermicompostagem para diminuir nossa pressão sobre os recursos naurais.
Acesse: https://www.facebook.com/valdenice.silva.589/media_set?set=a.897997390237840.1073741869.100000827616114&type=3&pnref=story
27/8/2015 - Na Acefb, professor Cláudio Loes expõe proposta de compostagem do lixo

Esta prática poderia reduzir a quantidade de resíduos destinadas ao aterro sanitário.

Cláudio Loes e colaboradores realizam, também, o trabalho de limpeza do Rio Marrecas, na área do Parque Ambiental Irmão Cirilo, no Bairro Padre Ulrico.

"Vivemos num país em que a educação é a primeira que vai para a gaveta." Assim começou a palestra do professor Cláudio Loes, especialista em Educação Ambiental, no Café Acefb de terça-feira, 25, na Associação Empresarial de Francisco Beltrão, que abordou o tema "Compostagem e Educação Ambiental".
Para Cláudio, a compostagem imita o que a natureza já faz, como, por exemplo, quando as folhas caem das árvores, apodrecem e se tornam adubo natural. No processo de compostagem que Cláudio realiza com alunos de escolas de Beltrão, a atividade é pensada para diminuir a quantidade de lixo orgânico que segue para o aterro sanitário. Em Beltrão, são recolhidas de 70 a 75 toneladas de resíduos orgânicos somente no perímetro urbano.
Desse total, 10 a 15 toneladas poderiam se tornar adubo natural para o cultivo de produtos agrícolas. "A compostagem é o processo de decomposição biológica da matéria orgânica contida em resíduos animais ou vegetais. É feita por muitas espécies de micro-organismos que, em presença de umidade e ar, se alimentam dessa matéria e propiciam que seus nutrientes voltem à terra", explicou Cláudio. O ciclo orgânico dos alimentos se resume basicamente em plantar, colher, alimentar, reciclar, compostar e adubar.
Num dos contrapontos apresentados em sua palestra, Cláudio comenta sobre a coleta de materiais recicláveis que é feita em Beltrão. "Tem cidades que a gente visita e não têm a separação adequada do lixo orgânico do reciclável. Sentimos a necessidade de ter o saco amarelo para colocar os materiais recicláveis. Se as pessoas começassem a fazer a compostagem em casa ou nos restaurantes, isso se tornaria um hábito", acredita o palestrante.
Interessados em saber mais sobre como fazer a compostagem podem mandar e-mail para claudio.loes@gmail.com ou ligar para o telefone (46) 9923-3094.

Limpeza do Rio Marrecas
Paralelamente aos projetos de incentivo à compostagem desenvolvido em escolas, Claudio e um grupo de pessoas se dedicam, atualmente, à limpeza do Rio Marrecas, na área do Parque Ambiental Irmão Cirilo, no Bairro Padre Ulrico, em Francisco Beltrão.

Fonte: http://www.jornaldebeltrao.com.br/noticia/235098/na-acefb-professor-claudio-loes-expoe-proposta-de-compostagem-do-lixo
25/8/2015 - Apresentação "Compostagem e Educação Ambiental" na Acefb.

Espero que a palestra possa tornar possível a prática da compostagem nas empresas participantes do Nugahtur conforme possibilidade levantada pelo presidente desta reunião.
Ótima gastronomia como a nossa, aliada com a diminuição do impacto ambiental aumentará o reconhecimento e valoração do setor. Servindo ainda de exemplo para que a compostagem possa ser uma prática tão comum quanto a reciclagem.

Acesse http://www.acefb.com.br/noticia/1002 ou acesse aqui.
27/7/2015 - "Nada se cria, nada se perde, tudo se transforma".

Por Raquel Ribeiro, Especial para Plurale

Desde 2009, Cláudio Loes desenvolve em municípios do Paraná o Projeto de Compostagem, reconhecido como prática de referência em Educação Ambiental pelo Ministério do Meio Ambiente, atendendo à Política Nacional de Resíduos Sólido. Inspirado nesse projeto, ele desenvolveu o Eco da Minhoca, uma série de atividades educativas bem pé-na-terra para turmas do 4º ano do ensino fundamental. Tudo começa com a leitura de A Fuga das Minhocas, um livro para crianças que conta as aventuras dessas grandes operárias da terra e trata, nas entrelinhas, de consumo consciente e, principalmente, da importância de compostar os resíduos orgânicos. Ou seja, separar as sobras da cozinha e as aparas de jardim e transformá-las, por um processo natural, em húmus, um riquíssimo adubo. “Conto a história antes da prática da observação. Os alunos melhoram seu comportamento, quererem no início pegar as minhocas com as mãos e depois passam a ter respeito por elas e esse cuidado pode ser estendido a todos os animais”, avalia Cláudio. “Mas mais importante do que aprender a valorizar as minhocas é pensar no lixo que produzimos e ser responsável por ele, dar destino nobre aos resíduos e discutir o consumo desenfreado”, completa o especialista em Educação Ambiental.

Em Francisco Beltrão (PR), o Colégio Nossa Senhora da Glória, o Colégio Estadual Mario de Andrade e a Escola Estadual Cristo Rei; assim como a Escola Estadual Telmo Octávio Müller e a Escola Municipal Padre Afonso, ambas em Marmeleiro (PR), já participaram dos projetos, desenvolvidos e aplicados pela sua empresa, a Ecophysis. “O objetivo principal é religar os alunos com a natureza e aprender fazendo sobre compostagem, participação dos microrganismos e das minhocas no ciclo da vida; buscando, em um contexto amplo, ampliar a percepção ambiental”, resume Cláudio.

O Eco da Minhoca acontece em três etapas de cinco semanas cada: observação da decomposição do resíduo orgânico; chegada das tão esperadas hóspedes e observação sobre como será dali para frente; por fim, plantio e observação do desenvolvimento. Para a turma acompanhar o processo bioquímico da produção do composto, foram feitos vasos de garrafas de água de 20 litros (pet) com três tipos de diferentes composições orgânicas: somente resíduo orgânico e resíduo orgânico mais folhas, serragem, folhas ou palha de milho. Observando esses vasos, os alunos entendem como funciona a decomposição dos resíduos, o movimento das minhocas, como elas se alimentam e aeram o solo. “A possibilidade de sentir a terra com as mãos, o uso de lupas e de fichas de observação aumentam o interesse dos alunos e propiciam a compreensão de que a natureza não produz lixo! O resíduo de um ser é alimento de outro; e assim sucessivamente”, diz o especialista.

Ao mesmo tempo em que os alunos vão aprendendo sobre o ciclo da terra, a história de A Fuga das Minhocas é contada por Cláudio e, em algumas situações, interpretada: “A união do imaginário e a realidade observada melhoram a percepção ambiental do aluno.” Um tema importante abordado no livro é a gigantesca produção de lixo nas cidades, questionando a cultura do descartável e incentivando o consumo consciente. Durante a leitura, o aluno percebe que não basta reciclar, é preciso evitar a compra de embalagens e produtos de vida curta, além de repensar nossos hábitos. Se cada um for responsável pelo lixo que produz, o impacto ambiental será menor.

Durante as atividades do Eco da Minhoca, Cláudio ainda procura mostrar que os conteúdos aprendidos em sala de aula estão relacionados com todo o Meio Ambiente no qual estamos inseridos. “É importante fazer a ponte entre esses novos conhecimentos com os conteúdos da grade escolar. Exemplos: uma boa observação é escrita com um bom texto (Português), um gráfico precisa de números (Matemática), cada ficha a cada semana encadeia uma sequência (História), a apresentação do animal e onde é encontrado (Geografia e Ciências) e fazer o varal do lixo (Artes).”

Por que compostar?

Um simples dado responde a pergunta: do total de resíduo sólido urbano coletado no Brasil, 51,4% é matéria orgânica, ou seja, 94.309,5 toneladas/dia. Apenas 1,6% desse montante é destinado a unidades de compostagem e o restante é levado para lixões, aterros controlados e aterros sanitários, segundo o Diagnóstico dos Resíduos Sólidos Urbanos (IPEA, Brasília, 2012). Se esses resíduos fossem transformados em húmus e os materiais recicláveis separados, sobraria pouco “lixo”. Economia para a prefeitura e respeitável redução do impacto ambiental – pois isso evitaria a emissão de gases poluentes, de contaminação de aquíferos e do solo. Para essa mudança de paradigmas acontecer, Cláudio Loes acredita “na implantação de um programa de educação ambiental durante o período de um ano escolar, para ensinar a prática da compostagem, relacionar a mesma com os conteúdos ensinados em sala de aula e criar o hábito, a rotina, de separar os resíduos orgânicos”.

Conquistar o prazo de um ano (em vez de ser apenas no Dia do Meio Ambiente) é um constante desafio para aplicação do projeto. Com tempo pode-se ter, além da prática da compostagem, atividades lúdicas como sessão de cinema, produção de textos e passeios de observação da natureza. Para ensinar nas escolas, Cláudio Loes conta com sua vasta experiência, pesquisa e atualização constante: conhece diversos processos de compostagem e usa sua própria casa como vitrine! “Se a criança não consegue fazer a ponte entre o que aprende na escola e sua realidade cotidiana, não há mudança no conjunto. Por isso mostro que a compostagem pode ser feita até em apartamento.” O especialista acredita que “se cada um compreender e procurar religar sua existência com os ciclos naturais, todos poderemos ter uma vida melhor, sustentável e aumentar nosso ciclo de existência enquanto espécie humana”.

Passo a passo

Cada vez mais escolas no Brasil e no mundo percebem como uma horta pode ser educativa. O processo para construção dos canteiros e de um composteiro é bem simples. A questão é como envolver o corpo docente e atrair os alunos! Sorte que alguns desbravadores, como Cláudio Loes, mostram como abrir esse caminho

- A escola que já tem interesse em colocar em prática a Educação Ambiental costuma estar mais aberta ao tema da compostagem.Após reunião com direção, setor pedagógico e administração da escola, Cláudio apresenta o projeto aos professores e aos pais.

- Se a escola quer desenvolver o Projeto de Compostagem, escolhe-se o local para construção do composteiro, da coleta de água da chuva e da horta.

- São abertas inscrições para quem quer participar e cada voluntário ganha um balde para coletar, uma ou mais vezes por semana, os resíduos orgânicos.

- São feitas atividades de contra turno na horta e exibidos filmes que inspiram atitudes ambientais positivas como Espanta Lixo, Escala e Abaeté (todos do Circuito Tela Verde do Ministério do Meio Ambiente) e atividades relacionadas ao tema, como o “varal do lixo” onde são expostos todo o lixo de um dia sem varrição na escola.

- No final do ano, há uma atividade externa para o aluno relacionar a compostagem ao processo que acorre naturalmente nas matas.

- Caso a escola adote o Eco da Minhoca, são construídos os vasos dos experimentos e assim se inicia a primeira a fase do projeto, com cinco semanas de observação do processo de degradação dos resíduos orgânicos. Paralelamente são realizadas atividades lúdicas, como o “varal do lixo”. Na segunda fase há, durante cinco semanas, observação do trabalho das minhocas e contação do livro de história A Fuga das Minhocas, escrito pela jornalista Raquel Ribeiro. Na terceira fase (cinco semanas) são realizados o plantio, a observação do desenvolvimento das plantas e as atividades externas para religar os participantes aos ciclos naturais. Por fim, é feita a análise e síntese das fichas de observação e Cláudio entrega os certificados de participação.

Fontes e contato - O Projeto de Compostagem, de Cláudio Loes, usa uma cartilha de sua autoria, Informações Básicas para Fazer Compostagem, que contou com revisão técnica dos engenheiros agrônomos Sérgio Carniel e Nilton Fritz, da EMATER do Paraná, o Guia de Compostagem Caseira, de Raquel Ribeiro, e informações técnicas da EMBRAPA. Cláudio Loes: (46) 9923-3094 -www.facebook.com/ecophysis?pnref=story/ www.ecophysis.com.br

Fonte: http://www.plurale.com.br/site/noticias-detalhes.php?cod=14256&codSecao=4

13/6/2015 - "Nada se cria, nada se perde, tudo se transforma".

Agradecemos a Raquel Ribeiro pela divulgação do Projeto de Compostagem e do Eco da Minhoca da Ecophysis com esta matéria na Revista Plurale (www.plurale.com.br). É sempre bom divulgar para incentivar outros a fazerem, darem o melhor de si, para que todos possamos ter uma vida melhor. A revista tem artigos muito interessantes para todos e a nossa está na página 36.

Fonte: http://issuu.com/prodweb/docs/prod_20150709174959_plurale-em-revi
3/6/2015 - Semana do Meio Ambiente em Francisco Beltrão - PR.

Participando na Trilha Ecológica conduzida pela UNIPAR, com um ponto para reflexão sobre a questão da poluição e lixo no Rio Marrecas.

Fonte: http://www.jornaldebeltrao.com.br/noticia/230465/estudantes-aprendem-sobre-meio-ambiente-e-aproveitam-trilha-ecologica
27/05/2015 - Projeto de Compostagem recebe a visita da Câmara Técnica do ICMS Ecológico na Escola Estadual Telmo Octávio Müller em Marmeleiro/PR.


Abaixo a íntegra da notícia publicada no site da Prefeitura de Marmeleiro.

Avaliação do ICMS Ecológico de 2015

28/05/2015
Na manhã do dia 27 de maio, na sala de reuniões do Departamento de Agricultura, aconteceu avaliação do ICMS Ecológico. Momento o qual a Câmara Técnica composta por representantes do Águas Paraná (órgão avaliador) IAP, Adapar, 8ª Regional de Saúde, EMATER, Unioeste e Sema, estiveram reunidos com a equipe do Departamento do Meio Ambiente de Marmeleiro, membros do Conselho do Meio Ambiente, Diretores de Departamentos, Vereadores, vice prefeito José Ivanir Pilatti e o Prefeito Luiz Bandeira.
O responsável pelo Departamento de Meio Ambiente e Recursos Hídricos Gilmar Garbin iniciou a apresentação mostrando as áreas de preservação das nascentes. Na sequência a Marilete Chiarelotto Presidente do Conselho Municipal de Meio Ambiente – CMMA e Maicon Chiarelotto aluno da UTFPR e estágio do Departamento de Meio Ambiente apresentaram os demais itens.
A apresentação se ateve a explanação de cada item, mostrando os trabalhos realizados no ano de 2014. Ao todo 12 itens são avaliados: 1. Mata ciliar/Cerca/Bebedouros; 2. Programa de Desenvolvimento Florestal; 3. Manejo e Conserv. De Solo e Estradas; 4. Combate Uso de Agroquimicos/Orgânicos; 5.Recuperação de Área de Passivo; 6. Saneamento Básico na Área de Manancial; 7. Poluição por Dejetos de Animais/ Industrial; 8. Educação Ambiental; 9. Efetivo funcionamento do Conselho de Meio Ambiente; 10. Estrutura do Dpto/ Secretária Mun. Meio Ambiente; 11. Projetos Desenv. No Mun. Para Pres. Ambiental na Bacia. 12. Valor Aplicado do ICMS pela Secretária no Ano;
No final da apresentação foi feito homenagem, com um minuto de silêncio em memoria ao ex-funcionário do Departamento de Meio Ambiente e Recurso Hídricos Geovani de Oliveira, falecido em um acidente em 28 de outubro de 2014.
Após a apresentação teórica de cada item a Câmara Técnica visitou o Colégio Estadual Telmo Octávio Muller para apresentar o projeto de compostagem implementado para trabalhar a educação ambiental com alunos mostrando o processo correto da separação de resíduos e reaproveitamento dos resíduos orgânicos para a produção de hortas.
SOBRE ICMS
O município de Marmeleiro é uma das 7 cidades do sudoeste do Paraná que recebe o repasse do ICMS Ecológico. Um recurso financeiro que o governo destina aos municípios que possuem em sua área territorial nascentes de rios que abastecem as cidades vizinhas, como é o caso da bacia hidrográfica do rio Marrecas que abastece o município de Francisco Beltrão.
O repasse da verba do ICMS é forma de incentivar os municípios para que continuem investindo em ações ambientais. Anualmente a Câmara Técnica avalia todos os trabalhos que foram desenvolvidos no município referente ao ano anterior. Buscando atender essas expectativas exigidas, Marmeleiro possui um programa municipal de recuperação e preservação dos recursos hídricos da bacia do Rio Marrecas, onde são desenvolvidas diversas ações ambientais bem como, diversos projetos de extensão em parceria com Universidades que são de grande importância no diagnóstico ambiental do Município."

Fonte: http://www.marmeleiro.pr.gov.br/sitio/noticia.php?notid=151
27/05/2015 - Mesa Redonda: Crise hídrica na UTFPR de Francisco Beltrão - PR.

Fazendo parte da III Semana do Meio Ambiente promovido pelo CACEA. Contando com a participação da Professora Ariadne Farias e o Professor Fernando Manosso. Sempre uma oportunidade para troca de ideias, provocações, porque o Engenheiro Ambiental é um dos profissionais do qual se cobra uma visão mais ampla, uma contextualização frente as questões que afetam diretamente nossa qualidade de vida.


30/3/2015 - Palestra sobre compostagem.

Palestra sobre Educação Ambiental e compostagem de resíduos sólidos urbanos no Rotary Cango de Francisco Beltrão - PR.
Acesse também http://www.rotaryfbcango.org.br/galeria-fotos/1508.

13/01/2015 - Projeto de compostagem é reconhecido como prática de referência em educação ambiental pelo MMA.

Neste ano, o Projeto de Compostagem uma iniciativa que começou a ser desenvolvido nas escolas de Fco Beltrão e de Marmeleiro, foi reconhecida como uma prática referencia em Educação Ambiental pela Plataforma Educares do Ministério do Meio Ambiente.

O idealizador do projeto, Cláudio Loes, espera que esta iniciativa seja ampliada para demais escolas da região.

Fonte: esta notícia foi veiculada pela TV Beltrão de Francisco Beltrão - PR.
2/3/2015 - Entrevista no Programa Dentro do Fato.

O assunto foi compostagem de resíduos orgânicos com Jocemar Madruga e Adir Seleski.
4/12/2014 - Educação ambiental na escola é referência para o Ministério do Meio Ambiente.

Agradecemos pela divulgação do Informativo APOEMA, Ano VI, Volume 198, 4 de dezembro de 2014,que assim também contribui para com as ações de Educação Ambiental.

Fonte: http://www.apoema.com.br/informe_apoema198.pdf


30/11/2014 - Educação ambiental na escola é referência para o Ministério do Meio Ambiente.

Agradecemos pela divulgação do Jornal Jornal de Beltrão, Ano XXVI, Número 5.516, 30 de Novembro de 2014, que assim também contribui para com as ações de Educação Ambiental.
Fonte: http://www.jornaldebeltrao.com.br/noticia/199991/educacao-ambiental-na-escola-e-referencia-para-o-ministerio-do-meio-ambiente



21/11/2014 - Projeto de Compostagem é referência para o Ministério do Meio Ambiente.

Agradecemos pela divulgação do Jornal Opinião, Edição 893 - 21 de Novembro de 2014, que assim também contribui para com as ações de Educação Ambiental.
Fonte: https://www.facebook.com/jornalopiniao1?ref=ts&fref=ts


09/01/2014 - Quando o problema vira solução.

Entrevista sobre compostagem para a Revista dos Comerciários do Sindicato dos Empregados no Comércio de Francisco Beltrão e Região. Ano 3, Novembro de 2013, Francisco Beltrão/PR, Nº 3.

Na fotografia aparece a Escola Estadual Telmo Octávio Müller, no entanto é importante ressaltar que o investimento nesta e na Escola Municipal Padre Afonso, ambas de Marmeleiro/PR é do Departamento de Meio Ambiente da Prefeitura Municipal de Marmeleiro.


15/3/2013 - Programas simples como a compostagem podem mudar a mente e o planeta.
Fonte: Jornal Opinião, 15/3/2013, matéria de Ubirajara de Freitas.


29/12/2012 Matéria sobre a Mostra Nacional Circuito Tela Verde.

Programa "Variedades em Foco" pela TV Beltrão de Francisco Beltrão, Paraná. Programa produzido pela RCM Produções e apresentado por Júlio Cezar Leonardi.
25/10/2012 - Alunos do Telmo Müller fazem trilha ecológica.

Fonte: http://www.jornaldebeltrao.com.br/geral/alunos-do-telmo-muller-fazem-trilha-ecologica-79679/ ou acesse aqui.
5/10/2012 - Emater discute com alunos e professores sustentabilidade ambiental.
11/9/2012 - Compostagem nas Escolas.

"O mais bacana de publicar um livro é ter o retorno dos leitores. Fiquei feliz da vida ao saber que crianças de cinco, seis anos curtem a história – e mais ainda ao ver escolas adotando a Fuga e criando atividades após a leitura. Entre elas, o projeto Eco da Minhoca, destinado a alunos do 4º ano do Ensino Fundamental ..."
Leia mais no blog da jornalista e escritora Raquel Ribeiro, Fonte: http://fugadasminhocas.blogspot.com.br/2012/09/compostagem-nas-escolas.html ou acesse aqui.
Voltar para o conteúdo